Postagem

Florian Birkmayer: Aromaterapeuta e Psiquiatra

Florian Birkmayer, MD, fundou o Instituto Birkmayer em 2009 para oferecer psiquiatria holística centrada no paciente, medicina para tratar dependências, bem como seminários e workshops sobre uma ampla gama de tópicos holísticos para facilitar a auto-transformação e o autodesenvolvimento contínuo. Essa abordagem foi inspirada nas idéias de CG Jung sobre a Individuação, que é a jornada do ego limitado para o Eu Superior. Sua ênfase na psiquiatria holística está na terapia assistida por equinos, na psicoterapia centrada no paciente e no manejo holístico de medicamentos, incluindo a aromaterapia.

Eu conheci o Dr. Birkmayer em fevereiro de 2013, quando ele participou de um seminário de fim de semana que ministrei no Colégio de Artes de Cura Botânicas de Santa Cruz. O Instituto Birkmayer está localizado em Albuquerque, Novo México.

Robert: Não são muitos psiquiatras que usam óleos essenciais em suas práticas, na verdade eu não consigo pensar em nenhum outro. Quais foram seus principais pontos de referência sobre como proceder usando óleos essenciais? 
Dr. Birkmayer: Você está certo de que muitos psiquiatras não usam óleos essenciais e sinto-me como um pioneiro que necessitou proceder com cuidado. Meus principais pontos de referência para o uso de óleos essenciais têm sido provedores holísticos, muitos dos quais reconhecem as interações entre sintomas emocionais e físicos. Também aprendi muito com meus clientes, que são realmente os especialistas no seu próprio bem-estar. Óleos essenciais se encaixam perfeitamente numa abordagem centrada no cliente e auto-capacitação. O livro de Sylla Sheppard-Hanger The Aromatic Mind tem sido um guia muito útil, assim como o Guia Completo de Aromaterapia de Salvatore Battaglia. Existem também vários livros sobre a segurança, incluindo o seu Essential Oil Safety , que são muito valiosos. Ao contrário de muitos psiquiatras, meus clientes geralmente estão muito interessados ​​e dispostos a experimentar óleos essenciais e a relatar benefícios, e é isso que me manteve em movimento.

Existem fundamentos diferentes para o uso de óleo essencial na psiquiatria? 
Eu vejo várias fundamentações: Em primeiro lugar, muitos medicamentos e a abordagem de muitos psiquiatras são enfraquecedores para os clientes, e os óleos essenciais restauram a percepção do cliente de que há algo que eles podem fazer, que os capacita a mudar seu estado emocional e lidar melhor com ele. Além disso, muitos clientes que me procuram experimentaram sérios efeitos colaterais e benefícios limitados de seus medicamentos psiquiátricos e estão buscando abordagens mais brandas. No entanto, eu não quero “jogar o bebê fora com a água do banho” e, para muitos clientes, usamos uma combinação de medicamentos e óleos essenciais. Eu uso os óleos para aliviar os sintomas e melhorar o bem-estar e a capacidade de enfrentar as dificuldades, mas também para neutralizar os efeitos colaterais dos medicamentos.

Você está procurando por efeitos específicos de óleos específicos, ou é basicamente ‘sentir-se bem’, ou você usa os aromas para ancorar sentimentos?
Eu uso óleos essenciais para efeitos específicos, como melhorar o humor ou aliviar a ansiedade ou insônia, bem como para neutralizar certos efeitos colaterais dos medicamentos. O que você chama de “sentir-se bem”, vejo como a maior sensação de bem-estar que os clientes obtêm ao recuperar um senso de resiliência e melhorar as habilidades de enfrentamento em relação a seus sintomas e estresses da vida. Isso também permite que os clientes saiam deste estado de estarem focados em sintomas para começarem a “basear-se nos pontos fortes” e “voltarem-se para a recuperação”. Em muitos casos, digo aos clientes que pensem numa intenção ou pensamento positivo quando aplicam os óleos essenciais; portanto, além dos efeitos específicos, os óleos podem, assim, ancorar sentimentos e intenções, ou, mais amplamente, uma sensação aprimorada de autoeficácia.

Que tipo de reclamações você mais vê? 
As queixas mais comuns que vejo estão relacionadas a experiências traumáticas, bem como ansiedade, depressão, insônia e efeitos colaterais de medicamentos.

Você usa principalmente óleos únicos ou misturas? Por quê? 
Eu uso óleos únicos, bem como misturas de até quatro ou cinco óleos. Na minha prática psiquiátrica, conheci muitos clientes que tomam vários medicamentos, o que aumenta a chance de interações medicamentosas e efeitos colaterais, e uma das minhas principais abordagens é simplificar o regime de medicação o máximo possível. Da mesma forma, quando eu uso óleos eu tento usar um número mínimo – é mais elegante e é mais suave no cérebro do cliente.

Você permite que alguns clientes escolham seu próprio óleo ou mistura? 
A maioria dos óleos e misturas que ofereço é personalizada para o cliente individual com a contribuição deles. Durante uma visita, eu escolho alguns óleos que sinto que podem ser úteis e deixo os clientes cheirarem e escolherem os óleos que fazem clique com eles. Os nervos olfativos vão diretamente para o sistema límbico, que é a parte do cérebro que processa as emoções, e assim a maneira que um cliente reage à um cheiro é uma indicação para mim do que seu sistema límbico pode precisar naquele momento.

O que você espera em termos dos efeitos dos óleos? 
Há muitos efeitos específicos relacionados ao sono, ansiedade, humor, mas, acima de tudo, espero restaurar o senso de autoeficácia do cliente, para que ele possa lidar melhor com sua vida e que os óleos se tornem ‘ferramentas na sua caixa de ferramentas.’

Quais são alguns dos seus favoritos e para que você os usa principalmente? 
Eu tenho muitos favoritos, mas recentemente eu particularmente gostei de uma simples combinação dos óleos essenciais de Melissa e Palo Santo que eu dei a vários clientes com ansiedade e problemas relacionados à trauma e parece ser que esta combinação permite o centramento das pessoas e elas deixam de sentirem-se sobrecarregadas.

Você pode descrever um ou dois dos seus casos em que os óleos essenciais desempenharam um papel importante na melhoria da saúde mental? 
Eu tenho uma mistura simples que eu chamo de óleo do sono que eu desenvolvi e comecei a usar para mim e depois compartilhei com os colegas e depois com os clientes – a insônia é um problema muito comum – e a resposta foi impressionante. As pessoas estão sempre me pedindo mais óleo para dormir, dando a parentes e falando sobre isso. Uma das coisas legais sobre o uso disso é que ele é aplicado na pele. Muitas pessoas estão acostumadas a ingerir algo, um medicamento ou um suplemento para obter ajuda com insônia, então quando eles usam o óleo para dormir, eles desaprendem que precisam ingerir algo para dormir e isso ajuda muito a restaurar um padrão natural do sono.

Outro exemplo: como você deve saber, alguns medicamentos psiquiátricos causam efeitos colaterais sexuais, que podem ser muito angustiantes. Eu tive sucesso com vários clientes em superar esses efeitos colaterais usando ylang-ylang diluído num óleo carreador e aplicado topicamente.

Então, como exatamente você recomenda o uso dos óleos essenciais – sempre envolve aplicação tópica? Para a pele? 
Eu tenho usado a aplicação tópica, eu digo aos clientes para pensarem como se estiverem se ungindo, assim como sprays que eu digo aos clientes para considerarem que são seu “perfume personalizado”.

Além de tratar os clientes, quais são algumas das suas outras atividades? 
Um dos objetivos do The Birkmayer Institute é oferecer seminários sobre uma ampla gama de tópicos holísticos, incluindo aromaterapia. Eu dei aulas mensais sobre o Livro Vermelho de CG Jung no ano passado, que tem sido uma jornada notável. Além dos óleos essenciais e de Jung, minha maior paixão é a terapia assistida por equinos e tenho sido abençoado que meu relacionamento com os cavalos tem se tornado cada vez mais profundo devido à este trabalho. Várias vezes por ano, eu sedio um retiro para terapeutas e curadores chamado ‘Cavalos curando curadores’.

Você vê algum sinal de que a medicina convencional está se tornando mais aberta ao uso de terapia não convencional, especialmente aos óleos essenciais? A aromaterapia poderia transformar a psiquiatria? 
Os clientes estão muito ansiosos por novas abordagens mais gentis e transformadoras. No entanto, o campo da psiquiatria age reservado e cético, mais que outras especialidades médicas, pelo menos na superfície. Em particular, tive vários colegas, especialmente enfermeiros, mas também alguns médicos, que demonstraram grande interesse. Meu sonho é organizar uma conferência sobre psiquiatria holística – especialmente aromática – nos próximos dois anos, pois suspeito que exista muita fome de conhecimento.

Dr. Birkmayer recebeu seu BA da Universidade de Princeton e seu MD do Colégio de Médicos e Cirurgiões da Universidade de Columbia. Ele completou sua residência em psiquiatria na Universidade do Novo México. Ele já atuou como diretor da Clínica de Diagnóstico Dual no Centro Psiquiátrico da Universidade do Novo México e como diretor do programa Distúrbios do Uso de Subastâncias no Veterans Affairs Medical Center em Albuquerque, NM. Ele foi convidado para ser um membro pleno do Grupo para o Avanço da Psiquiatria. Ele tem um compromisso de longa data para trabalhar com os menos favorecidos, por exemplo, trabalhando com Na’anizhozhi Center Inc., um centro de desintoxicação e reabilitação baseado na tradição Navajo em Gallup, NM e fornecendo tele-psiquiatria para áreas carentes. Ele se vê como um construtor de pontes entre mundos médicos diferentes e trabalha de perto e com muito respeito com uma ampla gama de curadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *